quarta-feira, maio 24, 2006

Na terça feira, acabei, junto com dois outros guionistas/amigos, o episódio piloto para uma série de televisão.

E a questão continua a ser a mesma.

Será que está alguma coisa de jeito? (eu espero que sim)

É um bom momento para falar da profissão de Guionista em Portugal. Para quem está interessado em escrever filmes/séries no nosso país (não novelas, isso é outra estória), dois conselhos.

Nem pensem nisso, porque eu não preciso da concorrência.

Nem pensem nisso, porque nunca, nunca, será um trabalho que vos irá garantir uma vida com um mínimo de estabilidade.

Escrever cinema em Portugal é um acto de paixão, um investimento numa estória, é necessário que sejas alguém que está disponível para estar sozinho em frente a um computador durante um mês sem receber dinheiro ou qualquer tipo de reconhecimento, ignorando amigos, namorada, família, que nunca percebem bem o trabalho que estás a fazer.

Sim, é assim tão mau. Se quiseres ser rico ou famoso, estás na profissão errada. Aqui joga-se pelo amor à camisola.

P.S. Não, os actores não inventam os seus diálogos. Eles foram escritos antes.

6 Comments:

Anonymous Ariadna said...

Vim cá parar por acaso, mas gostei muito de ler...
Ei de cá voltar
Parabéns tens jeito pra coisa
(na minha opinião claro) :D:D

maio 31, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Acredito na questão da estabilidade!

Jaime
www.blog.jaimegaspar.com

junho 20, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Boas...

Pois é, a vida tem destas coisas... Acabei por dar com a tua fronha ao acaso no hi5 e aguçou-se-me a eterna curiosidade feminina para ver que rumo tinhas seguido...

Provavelmente não te lembras de mim...Encontrámo-nos ainda imberbes (eu continuo imberbe, thank the lord!) num campo de férias em Nelas ... Voltei a ver-te algures nos corredores iscspianos ... E, pelos vistos, acabámos por nos afundar os dois na labuta dos guionistas neste país...

Enfim, não pude deixar de sorrir ao ler este post ... Sábios conselhos (acreditem nos desabafos, são mesmo verdadeiros)... E olha... Boa sorte para ti, Tiago... A coisa está a mudar ... Eu, pelo menos, acredito nisso.

Um beijo,
Vanda Simões

agosto 10, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Ah, de narcisista para narcisista... Tive tempo para espiolhar o conteúdo das 2 páginas mais recentes deste blog ...
Epá, escreves pa caralho! Sem paternalismos nem palmadinhas idiotas nas costas, acabei de ler das melhores coisas que me passaram pelas mãos nos últimos tempos.Muito bem.

Vanda

agosto 10, 2006  
Blogger Tiago said...

Nelas foi o local onde apanhei as minhas primeiras bebedeiras. Lembro-me de engolir meia garrafa de cachaça numa casa velha abandonada para, trinta minutos depois, estar a vomitar pendurado numa janela. Felizmente, o fantástico sentido de irresponsabilidade daqueles que são demasiado novos para se importarem é como uma capa de protecção. Obrigado pela visita, Vanda, e pelo elogio. Lembro-me de ti, claro, e desejo-te também toda a sorte. E não, as coisas não estão a mudar. Mas isso nunca deverá ser impedimento para a ambição de querer escrever ficção portuguesa. Quem sabe, talvez um dia as pessoas se cansem de ver adaptações de formatos televisivos mexicanos, essas fotocópias de fotocópias de fotocópias que preenchem as grelhas dos três canais.

P.S. Os meus agradecimentos estendem-se também a todos aqueles que fizerem questão de deixar uma nota durante a visita a esta espécie de Blog que teima em nunca se actualizar.

agosto 27, 2006  
Blogger SILÊNCIO CULPADO said...

Todo o trabalho que não é morte nem rotina, ou seja, o trabalho da criatividade e da realização pessoal dificilmente dará estabilidade económica.Esse mergulho necessário para produzir boas obras tem que ser compreendido por quem nos ama. Amar é isso. Deixar o outro ser como é. Parabéns por seres guionista. Deves ser muito bom pelo que me foi dado observar. Mas fica descansado. Sou de outra área e não te vou fazer concorrência.
Um abraço.

agosto 10, 2007  

Enviar um comentário

<< Home

/body>